Soeurs de Saint-Joseph de Cluny
https://sj-cluny.org/200-anos-de-presenca-das-Irmas-Saint-Joseph-de-Cluny-em-Guadalupe?lang=fr
      200 anos de presença das Irmãs Saint-Joseph de Cluny em Guadalupe

200 anos de presença das Irmãs Saint-Joseph de Cluny em Guadalupe

A 2 de abril de 2021, as irmãs de São José de Cluny abriram o ano do bicentenário para celebrar a chegada das filhas de Ana Maria Javouhey ao solo da Guadalupe, a 21 de abril de 1822.


200 anos de presença das Irmãs Saint-Joseph de Cluny em Guadalupe

A 2 de abril de 2021, as irmãs de São José de Cluny abriram o ano do bicentenário para celebrar a chegada das filhas de Ana Maria Javouhey ao solo da Guadalupe, a 21 de abril de 1822. Este bicentenário é a ocasião para fazer memória de um início e da continuidade desta história, hoje centrada no mesmo objetivo: dar testemunho de que «Deus ama todos os homens, sem distinção de raça, de cultura, de religião e de condição social. A sua dignidade deve ser reconhecida e os seus direitos defendidos». É também a ocasião de prestar testemunho a Ana Maria Javouhey, a mulher missionária, nascida na Borgonha. Ela lançou a semente e os grãos foram levados aos cinco continentes. «A sua luz não se apagou, ela brilha», hoje, «irmãs de todas as raças, de todas as nações e de todas as línguas perseguem na Igreja a obra que o Senhor confiou à fundadora.»

Duzentos anos de história!

Um bicentenário não é um simples aniversário. Representa o fim de uma etapa e o início de outra, «um momento nesta continuidade que hoje alivia o ontem.» Não se pode falar de bicentenário sem percorrer uma história. É recordar também, que naquele tempo, algo aconteceu na Igreja, algo de que somos hoje testemunhas e beneficiárias.

Com efeito, depois da ilha Bourbon, do Senegal e da Guiana, a Congregação instalou-se na Guadalupe em Abril de 1822 para se ocupar da instrução das meninas. As primeiras religiosas, com uma média de 22 anos, foram vítimas do inesquecível ciclone de 1825, que destruiu completamente a sua escola e custou a vida à Madre Superiora, Julie JACOTOT. A missão permanece ainda hoje em torno da educação da juventude e do sócio sanitário.

Ana Maria JAVOUHEY: «primeira mulher missionária.»

Ana Maria Javouhey, nascida a 10 de novembro de 1779 numa aldeia da Borgonha, ouviu o apelo de Deus para anunciar nos cinco continentes o seu amor por todos, sem distinção de cultura, de religião, de condição social.
A Madre JAVOUHEY legou às irmãs de São José de Cluny um espírito ou a maneira de amar a Deus ou a forma de servir a Igreja e o mundo. Estes dois elementos constituem o património de família.
A semente lançada por Ana Maria JAVOUHEY germinou onde o grão caiu: Não só na Europa, mas também nos outros continentes.

VIDEO: Em directo da Missa da Congregação das Irmãs de São José de Cluny, Província Antilhas - Guiana

Réagir à cet articleReagir a este artigo

Alguma mensagem ou comentário ?

Fórum requer assinatura

Para participar nesse fórum, deve estar previamente registado. Por favor indique a seguir o identificador pessoal que lhe foi fornecido. Se não está registado, deve inscrever-se.

Ligaçãoinscrever-sepalavra - passe esquecida ?

Site Vaticano

Notícias Vaticano

União das Superioras gerais

Conferência dos Institutos Religiosos de Portugal (CIRP)

Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB)

Leituras da missa do dia

Santo(a) do dia

Províncias